radio2 tapa buracoEcoponto

Ex-Palmeiras trabalha como gari em SP: 'Nunca me senti menosprezado'

Preá revelou que na época de Palmeiras ele recebia um ordenado que chegava a R$ 35 mil por mês.

Por Jamilson em 21/01/2019 às 11:46:42

Jorge Preá atuou pelo Palmeiras há mais de 10 anos. Ele foi revelado no Pelotas (RS) aos 23, onde foi artilheiro da segundona do Gauchão em 2007. Chegou a jogar na Coreia do Sul e foi contratado pelo Palmeiras de Vanderlei Luxemburgo em 2008. Hoje, Preá tem de trabalhar de gari durante os dias de semana, limpando os bueiros na cidade de São Paulo para complementar a renda.

Durante entrevista ao UOL, Preá revelou que na época de Palmeiras ele recebia um ordenado que chegava a R$ 35 mil por mês. Hoje, a renda gira entre R$ 4 e R$ 5 mil. A variação existe porque ele recebe para jogar por times da várzea da Grande São Paulo aos finais de semana.

'O pagamento vai de R$ 200 até R$ 350 por jogo. Eu faço cerca de R$ 700 por final de semana' afirmou.

Jorge Preá afirmou que mesmo recebendo um bom salário como jogador não foi capaz de juntar uma fortuna, pois nunca esteve envolvido em grandes transações que rendem luvas milionárias. Mesmo assim, o atleta revela que conseguiu realizar um sonho da mão e contruir a casa própria.

'Com o primeiro contrato que fechei, comprei uma casa para minha mãe. Um apartamento, na real. Era prioridade. Antes de me aposentar, construí minha casa' disse.

Após sair do Palmeiras, Preá passou por vários clubes menores. Ele explicou que o último time por onde passou não pagou os salários, mas as contas não pararam de chegar. Com a mulher grávida e outros quatro filhos para alimentar, Preá pegou o emprego na vaga que apareceu. 'Nunca me senti menosprezado. Meu filho mais velho (Kaique, de 15 anos) gostaria que eu voltasse a jogar, mas ele sabe no que o pai trabalha e nunca foi problema. Falo para todo mundo. Tem que trabalhar. Não tem essa de joguei no Palmeiras dez anos atrás. Isso não vai me dar dinheiro', afirmou.

radio3 TB