Ecopontoradio2 tapa buraco

Doze dias após anunciar pré-candidatura, Datena desiste de disputar Senado

Filiado ao DEM, apresentador apareceu na televisão nesta segunda-feira, 9, o que o torna inelegível, segundo regras do Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

Por Jamilson em 09/07/2018 às 18:59:35

Doze dias depois de anunciar pré-candidatura ao Senado, o apresentador de TV José Luiz Datena desistiu nesta segunda-feira, 9, de disputar as eleições deste ano. O apresentador se manifestou ontem, ao vivo em seu programa "Brasil Urgente", sobre a desistência. Ele disse que a política chegou num momento muito sério, mas que "achou que não ia dar certo".

"Me desculpe quem acreditou em mim, mas não é dessa vez ainda. Talvez nem tenha outra", afirmou. Anúncio semelhante foi feito em 2016, quando estava filiado ao PP e anunciou, também ao vivo, que não disputaria mais a Prefeitura de São Paulo.

Pela legislação, radialistas, apresentadores de programas ou comentaristas que queiram se candidatar devem que se afastar da grade de programação de suas emissoras até 30 de junho. Esta foi a primeira aparição de Datena na TV desde que anunciou sua pré-candidatura e filiação partidária.

O apresentador é filiado ao DEM e chegou a participar de um evento da sigla para lançar pré-candidatura na coligação com o ex-prefeito João Doria (PSDB), pré-candidato ao Palácio dos Bandeirantes, em 27 de junho.

Nos últimos dias, contudo, Datena já havia indicado que sua entrada na disputa já não era mais certa. "A decisão ainda não está tomada", disse o apresentador ao Estado, em 7 de julho. Na campanha do aliado Doria, a expectativa nos últimos dias era de desistência.

As duas últimas semanas tiveram alguns estresses na vida política de Datena. Logo no lançamento de sua pré-candidatura, por exemplo, ele aproveitou o palanque para criticar a segurança pública no País e em São Paulo - o que gerou um mal estar entre os tucanos, que governam o Estado há décadas. 

Segundo a pesquisa do Ibope de intenções de voto, no final de junho, o apresentador estava em segundo lugar (23%).  O vereador Eduardo Suplicy (PT) liderava a disputa pelas duas vagas no Senado, com 29%. 

Fonte: O Estado de S.Paulo/ Foto: Christina Rufatto

radio3 TB