Ecopontoradio2 tapa buraco

Polícia finaliza inquérito sem indiciamento por morte de criança em clube de Várzea Paulista

Pedro Henrique Marques Rodrigues, de 10 anos, foi encontrado desacordado perto de piscina em um clube de Várzea Paulista, no dia 25 de março. Vítima havia ido ao local sozinha sem avisar a família.

Por Jamilson em 17/10/2018 às 19:51:09

A Polícia Civil finalizou o inquérito do caso do menino de 10 anos morto depois de sofrer uma descarga elétrica e se afogar com refluxo perto da piscina em um clube de Várzea Paulista, no dia 25 de março deste ano.

De acordo com o delegado Marcel Fehr, na época do ocorrido, Pedro Henrique Marques Rodrigues foi encontrado desacordado perto de uma cerca onde havia fios desencapados. Uma equipe médica constatou uma marca na perna esquerda causada pelo choque.

Um laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou, dias depois da morte, asfixia por afogamento. Segundo Fehr, foi identificada uma grande quantidade de água na barriga da vítima e pouca no pulmão. "Não morreu pelo choque e, sim, aspirou líquido, mas não da piscina. Possivelmente, algumas das várias pessoas que fizeram massagem e tentaram reanimar comprimiram a região torácica e fizeram com que o líquido do estômago voltasse e ele aspirasse", explica.

A família de Pedro, pessoas que estavam no clube e um proprietário foram ouvidos e o caso será relatado ao fórum sem indiciamento. O promotor e o juiz devem analisar se alguém tem responsabilidade criminal ou provocou a morte.

 

Entenda o caso

Pedro sofreu uma suposta descarga elétrica quando estava sozinho no clube, em Várzea Paulista. Ele foi encontrado por um visitante do parque já desmaiado perto da piscina e levado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade.

Como o garoto foi até o clube sem a companhia de um representante legal, assim que a morte foi constatada, a direção da UPA acionou a Polícia Militar, que registrou um boletim de ocorrência de morte suspeita.

Em nota, o clube Parque das Águas de Várzea Paulista lamentou o ocorrido e afirmou que "a indisciplina do menino foi determinante para a sua morte".

"Temos ciência de que tudo foi feito pelo bem-estar do menor, vítima de um acidente. A imprudência infantil fez com que o jovem em questão, após sair pela portaria e não poder mais retornar ao recinto, tentasse entrar por baixo de uma cerca que contava com fiação elétrica", afirmou o clube.

O menino tinha saído de casa, em Jundiaí, e ido para o parque em Várzea Paulista sem avisar os pais. O corpo de Pedro foi enterrado no cemitério Nossa Senhora do Montenegro, em Jundiaí, cidade onde a família mora.

Fonte: G1

radio3 TB